CATEGORIAS

Home / Sem categoria  / A falta de cuidados é a maior inimiga dos fios!

A falta de cuidados é a maior inimiga dos fios!

Oleosidade, pontas duplas, ressecamento, fios preguiçosos, cabelos quebradiços, opacos, muito volume, pouco volume e outros dramas de arrepiar as madeixas. A gente sempre tem uma reclamação para fazer sobre os nossos cabelos. A boa notícia é que todos esses problemas têm fim! Confira quais são os hábitos que mais detonam os fios e saiba como fazer para se livrar deles de vez:

 

• Passar condicionador na raiz: 

O condicionador colabora com o aumento da oleosidade e, como tampa os poros capilares, aumenta a incidência de caspa.

 

• Deixar o condicionador no cabelo:

Não enxaguar adequadamente os fios, deixando resquícios do produto, vai danificar a estrutura capilar e impedir que as escamas sejam seladas. O resultado aparece em forma de madeixas elásticas e quebradiças. Por isso, ao terminar a lavagem dos cabelos, certifique-se que a água que escorre saia cristalina e que o cabelo não esteja com restos do produto.

 

• Esquecer as hidratações:

A hidratação tem a capacidade de dar leveza e nutrir os cabelos, recuperando a maciez, o brilho e o aspecto saudável deles. Em função do grande uso dos produtos químicos (tinturas, alisamentos, relaxamento, entre outros), os fios tendem a ficar danificados. A função da hidratação é de reverter tudo isso. Mesmo os fios oleosos merecem hidratações, feitas com produtos específicos.

 

• Lavar os cabelos com água quente:

Evite a água muito quente, pois ela pode causar irritações no couro cabeludo, estimulando a produção de sebo e favorecendo a oleosidade, o que também inibe o crescimento dos fios.

 

• Usar máscara hidratante na praia:

Para tomar sol, o ideal é passar um creme sem enxágue com proteção solar. E nada mais.

 

• Prender os fios molhados:

Fazer isso uma vez ou outra não tem problema nenhum. Mas achar que vai domar o volume dos fios dando um bom nó em volta deles é assinar um atestado de raiva permanente. Usar um leave-in e evitar o vento enquanto a cabeça não seca são medidas suficientes para evitar o cabelo armado demais.

 

• Passar chapinha no cabelo molhado:

A gravidade é tanta que dá para sentir os efeitos na mesma hora. Os fios são profundamente agredidos. Além de queimados, eles se quebram. Antes de usar a prancha, seque bem os cabelos. Nem úmidos eles podem estar.

 

• Usar o secador do jeito errado

Procure mantê-lo a 30 centímetros de distância da cabeça e sempre com a temperatura intermediária ou fria, nunca na máxima, para não queimar e danificar os fios. Também evite direcionar o jato quente para a cabeça, isso estimula a oleosidade na raiz e diminui a duração da sua escova.

 

• Ficar mais de três meses sem cortar:

Para muita gente, isso é papo de cabeleireiro. Mas não é. A não ser que seu cabelo demore muito para crescer, este é o tempo médio de duração de um corte. Passada essa fase, as pontas começam a abrir e os fios quebram-se com facilidade. Os arrepiados aumentam o volume e os fios fracos começam a cair.

 

• Desembaraçar com escovas maleáveis demais:

As cerdas moles são de manuseio mais difícil, além de quebrarem os fios. Por isso, os especialistas recomendam um pente com dentes bem largos e firmes ou uma escova do tipo raquete, mais resistente.

 

• Fazer mais de duas químicas:

Você precisa escolher os tratamentos que quer aplicar. Relaxamento, coloração, progressiva, luzes… tudo isso junto deixa os fios porosos e fracos demais, arrebentando todas as pontas. Escolha dois tratamentos, no máximo, e faça hidratações mensais, no mínimo.

 

• Dispensar o leave-in:

Quem pretende aderir ao look natural, atenção para o alerta: sem xampu, condicionador e cremes leave-in (cremes sem enxágue) não existem cachos bonitos. Isso porque cabelos crespos precisam de mais cuidados, pois as curvas dos fios dificultam que a oleosidade natural presente na raiz chegue até as pontas – assim, elas acabam ficando ressecadas, daí a importância da hidratação. E nada de improvisar, usando o condicionador como se fosse um leave-in.